sexta-feira, 24 de março de 2017

A Russofobia é um sintoma da implosão dos Estados Unidos

Finian Cunningham, tradução de btpsilveira

Houve um tempo em que a Russofobia era uma maneira eficiente de controlar a população – usada particularmente pela classe dominante para levar a população dos Estados Unidos a um estado de lealdade patriótica. Não é mais. Agora, a Russofobia é um sinal de fraqueza, de uma implosão desesperada entre a classe dominante dos Estados Unidos, a partir de sua decaída podridão interna.
PT e democracia brasileira estão devendo

[orig. Russiagate and the Democratic Party are for Chumps]

22/3/2017, Paul Street, 
Counterpunch (traduzido e anotado pelo coletivo Vila Vudu)


Entreouvido na Vila Vudu:


Ninguém precisa concordar com tudo q aí se lê, nem sobre o Rússia-gate (noticiário falso e escândalo contra Trump), nem sobre o PT-gate (noticiário falso e escândalo contra os governos Lula-Dilma). 

Mas a reflexão aí proposta, difícil que seja, é indispensável: POR QUE, diabos, os governos do PT tanto insistem nas questões liberais e tanto fogem espavoridos das grandes questões que foram desde sempre e ainda são a vida e o sangue da esquerda em todo o mundo? Por que não fizemos a reforma agrária? Porque teríamos sido derrubados? Ora bolas! Fomos derrubados agora, provavelmente também PORQUE NÃO FIZEMOS (a reforma agrária). Por que não demos uns trancos bem dados nos monopólios de mídia? Por que o PT vive e pensa como se a luta de classes fosse assunto tabu?!

Hassan Nasrallah: Israel em pânico, enquanto o Eixo de Resistência triunfa

Discurso do Secretário Geral do Hezbollah, Hassan Nasrallah, em 18 de março de 2017, por ocasião do dia da mulher, aniversário do nascimento de Fatima al-Zahra (a.s.)

Excerto da seção política do discurso – transcrição para o inglês feita por Sayed Hasan ( http://sayed7hasan.blogspot.fr ) – tradução para o português por btpsilveira
               



Hoje, ou melhor dizendo, estes dias, são na realidade uma oportunidade (especial), principalmente quando os eventos na Síria e a guerra lançada contra o país entram no sétimo ano. Seis anos se passaram, com todo o seu conteúdo em termos de sofrimento, guerras, conspirações, confrontos e sacrifícios de vidas humanas. Com o final do sexto ano e o início do sétimo, faremos uma breve pausa nesta ocasião, pois estes fatos estão na origem de nossas preocupações.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Grande Muralha de Ferro contra Nova Rota da Seda? 

16/3/2017, Pepe Escobar, Asia Times, tradução do Coletivo da VILA VUDU


Quando o zum-zum em torno do 
encontro Trump-Xi converter-se numa Mar-a-Lago em campo mês que vem, os dois presidentes terão de concordar integralmente em pelo menos uma questão: "o terror islâmico radical" – na terminologia trumpeana.
Resultado de imagem para new middle eastDores do parto de um novo Oriente Médio 

19/3/2017,
Pepe Escobar, SputnikNews Tradução do Coletivo da VILA VUDU

Vocês todos lembram bem do que a ex-secretária de Estado dos EUA Condi Rice previu em 2006 em matéria de "dores do parto de um novo Oriente Médio". Fiel ao regime de George "Dábliu" Bush/Cheney, Condi errou tudo, fragorosa e espetacularmente, não só sobre o Líbano e Israel, mas também sobre Iraque, Síria e a Casa de Saud.

domingo, 19 de março de 2017

Papéis de EUA, Rússia, Turquia, Irã e Israel na Síria:

Rumo ao fim da guerra
 
14/3/2017, Elijah ManierBlog, tradução: Coletivo da VILA VUDU

EUA e Rússia têm acordo para pôr fim ao "Estado Islâmico" (ISIS/Daech), como prioridade na Síria, unificando o objetivo sem necessariamente concordar com unir esforços e coordenar o ataque por terra. Ainda assim, esse começo levará ao fim da guerra na Síria e pavimentará o caminho para remover obstáculos essenciais (quer dizer: todos os jihadistas) na estrada do processo de paz.
Ninguém precisa de mais uma Guerra da Coreia


por Eric Margolis, tradução de btpsilveira
19 de março de 2017 "Information Clearing House" – Na incrivelmente tensa zona desmilitarizada (também conhecida como DMZ), o “vilarejo da paz”, Panmunjon é um dos lugares mais esquisitos do mundo que jamais visitei. Soldados duros da Coreia do Norte espreitam o tempo todo, vigiados por sua vez por duros soldados da Coreia do Sul, todos com óculos escuros, jogando um agressivo judô virtual entre “guerreiros”.