sábado, 8 de agosto de 2020

Quem se beneficia com a explosão em Beirute?

 

Quem se beneficia com a explosão em Beirute?

 

Ponderações de que a explosão foi resultado de um ataque

 

Uma vista aérea mostra na quarta-feira o dano imenso causado aos silos de grãos de Beirute e a área em volta, um dia depois da grande explosão que atingiu o local no coração da capital libanesa. Foto: AFP

 

Texto de Pepe Escobar em 07 de agosto de 2020 – tradução por btpsilveira

Publicado originalmente em: https://asiatimes.com/2020/08/who-profits-from-the-beirut-blast/

Já está gravada em pedra, pelo menos na esfera atlanticista, a narrativa de que a explosão em Beirute foi consequência exclusiva da corrupção e negligência do governo libanês atual.

Mesmo assim, se cavarmos mais fundo, poderemos eventualmente descobrir que essa negligência e corrupção podem ter sido bem exploradas, usando de sabotagem, para engendrar o que aconteceu.

O Líbano é como o território dos sonhos de John Le Carré. Um amontoado multinacional de espiões de todos os matizes – agentes da Casa de Saud, operadores israelenses, “rebeldes moderados” armados, intelectuais do Hezbollah, “realeza” árabe pervertida, contrabandistas auto glorificados – tudo dentro do contexto de um desastre econômico total.

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

O futuro da geopolítica do Golfo e o acordo Irã/China

 

O futuro da geopolítica do Golfo e o acordo Irã/China

 

Texto de Salman Rafi Sheikh, tradução de btpsilveira

https://journal-neo.org/2020/08/06/sino-iran-deal-and-the-future-of-gulf-geo-politics/

Considerando que o acordo entre Irã e China anunciado recentemente prejudica as políticas dos EUA face tanto a China quanto o Irã, os bilhões de dólares da China muito provavelmente mudarão o equilíbrio do poder no Oriente Médio, favorecendo o Irã.

 

As bombas Atómicas no Japão Foram Destinadas a Terminar a Guerra e a salvar vidas?


Por Larry Romanoff

Global Research, December 23, 2019


(Nota do administrador do blog: texto traduzido em português europeu, porém de fácil compreensão)

Há alguns anos, um escritor americano chamado Greg Mitchell escreveu um livro elucidativo sobre a enorme ocultação forjada pelo governo dos Estados Unidos sobre o lançamento da primeira bomba atómica no Japão, e a censura a que foi sujeito o primeiro filme de Hollywood sobre esse assunto. (1) O governo tinha na sua posse muitas filmagens ao vivo realizadas pelas Forças Armadas Americanas, sobre Hiroshima e Nagasaki, que Mitchell diz que teria chocado os espectadores, com ruínas fantasmagóricas e bebés com as caras queimadas. Ele inclui muitas das fotos originais no seu livro, bem como pormenores dos enormes esforços para esconder os factos, a evidência do uso de bombas atómicas e a tapeçaria de mentiras criadas após o facto, para justificar esta atrocidade e apresentá-la como um mal necessário.

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Quem é o responsável pela explosão em Beirute?

 

Quem é o responsável pela explosão em Beirute?


Agosto de 2020 – texto de Elijah J Magnier, tradução de btpsilveira

 

Terça feira, 04 de agosto, ocorreu uma explosão no porto localizado no coração de Beirute, causando devastadora quantidade de mortes e destruição material. 140 pessoas morreram na hora, 80 ainda permanecem perdidas no meio das ruínas e mais de 5000 foram feridas. Mais de 300.000 casas foram destruídas e muitas outras danificadas. De algum modo, 2.750 toneladas de Nitrato de Amônia (NA) – equivalente a 1000 toneladas de TNT (dinamite) entraram em ignição e causaram a maior explosão desde o final da Segunda Guerra Mundial. Na capital do Líbano circulam muitas teorias acusando Israel ou o Hezbollah, e ainda a CIA pela explosão. Onde está a verdade? Cui bono?

A bomba atômica em Hiroshima foi um ato premeditado de assassinato em massa

 Há outra Hiroshima a caminho... a menos que a impeçamos agora.

Texto de John Pilger, no site ICH, com tradução de btpsilveira

 

Julho de 2020 – Information Clearing House – Quando estive pela primeira vez em Hiroshima em 1967, a sombra na escada ainda estava lá. Era uma impressão quase perfeita de um ser humano bem à vontade: pernas abertas, costas flexionadas, uma mão ao lado do corpo, esperando que o banco abrisse.

Às oito e quinze da manhã de 06 de agosto de 1945, ele e sua silhueta foram gravadas a fogo no granito.

terça-feira, 4 de agosto de 2020

Um dia, o acesso dos EUA ao Mar do Sul da China será negado

Mar do Sul da China: o cerne da questão

 Texto dPepe Escobar para o Blog do Saker, postado originalmente no site Asia Times

Tradução de btpsilveira

 

Quando os grupos de ataque dos porta aviões Ronald Reagan e Nimitz envolveram-se recentemente em operações no Mar do Sul da China, muitos cínicos notaram que a Frota do Pacífico dos Estados Unidos está fazendo o seu melhor para tornar a teoria infantil da Armadilha de Tucídides numa profecia autorrealizável.

domingo, 2 de agosto de 2020

Rússia e a próxima eleição presidencial nos EUA 

 

28/7/2020, The Saker, in The Vineyard of the Saker e Unz Review

 

 

Kent, para o Saker Blog


_________________________________

“Quanto aos Democratas-EUA, já gritam que os russos publicam fake-news sobre Biden. Para usar expressão cunhada por meu amigo Gilad Atzmon, trata-se agora da síndrome da desordem PRÉ-traumática…”
_________________________________


Introdução: quadro nada bonito



Comecemos com um spoiler: nesse artigo, assumo que haverá eleição presidencial nos EUA no outono. Nesse momento, parece provável que essa eleição aconteça (parece não haver via legal para cancelar ou adiar a eleição), mas nada é garantido (veja aqui uma tradução automática de artigo muito interessante de analista russo, que prevê uma diarquia após as eleições). Nesse momento, a situação na sociedade norte-americana é ao mesmo tempo de extrema preocupação (por bons motivos) e potencialmente explosiva. É impossível prever o que um bem executado ataque sob falsa bandeira poderia fazer aos EUA. Também há possibilidade ou de desastre natural (furação, terremoto, etc.) ou, mesmo, de desastre não natural (considerando a condição da infraestrutura nos EUA, quase inevitável) que pode precipitar algum tipo de estado de emergência ou lei marcial para “proteger” o povo.