quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Estados Unidos da América: o Quarto Reich
 Why United States Is the Fourth Reich
Texto de Finian Cunningham, tradução por btpsilveira

A declaração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na última semana, ante as Nações Unidas, de “destruir totalmente” a Coreia do Norte e seu modo de falar sobre o poder militar dos EUA estão lado a lado com as invocações do Terceiro Reich Nazista de “Guerra Total”.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Um império em derrocada: A estratégia militar da Rússia e da China para conter os EUA

 A Failing Empire: Russia and China's Military Strategy to Contain the US
Texto de Federico Pieraccini (Strategic Culture Foundation), tradução de btpsilveira
Ao prestar atenção na paisagem política global do último mês, sobressaem duas tendências. O obsceno poder econômico e militar à disposição dos Estados Unidos está em declínio, enquanto ocorre uma aceleração na criação de uma série de infraestruturas em um mundo multipolar, com mecanismos e procedimentos para conter e limitar os efeitos negativos do declínio (norte)americano neste momento de queda. Esta série de três artigos deverá focar em primeiro lugar no aspecto militar dessas mudanças em andamento, depois nos aspectos econômicos e finalmente, como e porque pequenos países estão transitando do campo unipolar para o terreno multipolar do planeta.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Netanyahu busca ajuda de Putin na Síria:
Israel não está preparada para outra guerra 

 
25/8/2017, Elijah J. Magnier (@ejmalrai), @AlraiMediaGroup – Trad: Coletivo Vila Vudu

O primeiro-ministro Benyamin Netanyahu de Israel viajou até o resort russo de Sochito, para se encontrar com o presidente Vladimir Putin da Rússia, considerado o "senhor da casa" na Síria, numa tentativa já fracassada de extorquir do Kremlin o que não conseguiu de Washington, sobre as fronteiras de Israel e Síria.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Uma Junta Militar governa os Estados Unidos

 

Apontamentos sobre a Junta, um corredor de passagem desnecessário, e as manobras russas...


texto por Moon of Alabama, tradução de btpsilveira

Agosto de 2017 – "Information Clearing House" – Conforme uma teoria política dos anos 50, a estrutura do poder na sociedade dos Estados Unidos é construída principalmente em cima de três grupos de elite: pessoas com altas patentes militares, os executivos das grandes corporações e a direção geral da política. (Como “direção geral da política”, entenda-se a burocracia, assim como a CIA e seus capachos dentro do Congresso).

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Os Talibãs se renderam e os EUA não aceitaram. Agora eles estão de volta

 
texto de  Ryan Grim  tradução de btpsilveira

Agosto de 2017 – "Information Clearing House" – Por acaso você sabia que o Talibã tentou se render pouco antes da invasão do Afeganistão pelos Estados Unidos?

No Afeganistão, por séculos, quando uma força rival conquista o poder, os derrotados baixam suas armas e se integram à estrutura do poder – claro que com muito menos poder, ou nenhum. É como quando você lida com um vizinho chato ao lado do qual continuará a viver. Não se trata de um jogo de futebol, quando no final da partida cada time vai para a cidade onde está sediado. Para os (norte)americanos, é compreensivelmente difícil de entender, porque os EUA não lutam uma guerra prolongada no próprio território desde a guerra civil.

domingo, 20 de agosto de 2017

EUA efetua o primeiro disparo na Guerra comercial contra a China.
 US Fires First Salvo of Upcoming Trade War with China
Texto de Peter Korzun – tradução de btpsilveira
Enquanto a atenção do mundo está focada na Coreia do Norte e seu programa de mísseis nucleares, outra guerra está começando. A primeira salva de disparos dessa guerra aconteceu em 14 de agosto, quando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, autorizou um inquérito sobre as alegações de que Pequim estaria roubando propriedade intelectual infringindo a Seção 301 da Lei de Comércio de 1974. Trata-se da primeira medida comercial concreta da atual administração contra a China.
Bannon O Bárbaro, agora 'termonuclear' 


"Bannon O Bárbaro e sua guerrilha termonuclear contra a junta militar que hoje controla a Casa Branca.
Essa afinal é guerra que se pode levar a sério." 

19/8/2017, Pepe EscobarSputnikNews – tradução do Coletivo VILA VUDU


"Estou deixando a Casa Branca e vou à guerra por Trump contra os adversários dele – no Capitólio, na mídia e nos EUA empresariais."


Eis o que disse o ex-estrategista-chefe da Casa Branca Steve Bannon, pelo telefone, ao homem que escreveu o livro sobre como Bannon/Maquiavel realmente conquistou a Casa Branca para O Príncipe, Donald Trump.

sábado, 19 de agosto de 2017

A hipocrisia das lágrimas por Barcelona

 
texto de Peter Koenig – tradução de btpsilveira

Em Barcelona, no dia 17 de agosto, às 17h00 – Uma van branca avança a 70 km/hora diretamente contra de uma massa de pedestres, a maioria turistas, na famosa Rambla, no coração de Barcelona. O total de mortos, 13, além de mais de 100 feridos. Nos eventos paralelos, a polícia matou um dos alegados perpetradores do atentado. O principal suspeito fugiu e ainda estaria foragido. Estaria mesmo? – Talvez ele também já esteja morto.
E os vencedores na era pós-Daech (Estado Islâmico) são...

18/8/2017, Pepe Escobar, Asia Times.

O caso de amor entre a Casa de Saud e o líder iraquiano nacionalista Muqtada al-Sadr revela o desespero dos sauditas depois da miserável derrota na Síria e de uma mudança para se opor ao Irã em Bagdá, em vez de se opor a Damasco.

Shi'ite leader Muqtada al-Sadr meets with Saudi Crown Prince Mohammed bin Salman in Jeddah, Saudi Arabia on July 30, 2017. Photo: Reuters via Bandar Algaloud/Courtesy of Saudi Royal Court
O líder xiita Muqtada al-Sadr reúne-se com o príncipe coroado da Arábia Saudita Mohammed bin Salman em Jedá, Arábia Saudita, dia 20/7/2017. Foto: Reuters via Bandar Algaloud/Cortesia da Real Corte Saudita

Muqtada al-Sadr está aprontando alguma. No Iraque ocupado de 2004, o líder nacionalista que adiante construiu o movimento Sadrista chegava a ser demonizado como inimigo número 1 dos EUA – destronando rapidamente Osama bin Laden. Agora está sendo pintado – pelos bajuladores de Wahhabistas de sempre – como uma espécie de Reconciliador.
Empurrados pelos neocons, EUA e o mundo caminham para uma crise perigosa

 
Texto de The Saker – tradução de btpsilveira

Primeiro, o que escrevi no muro

Em outubro do ano passado escrevi uma análise denominada Os EUA estão prestes a encarar a pior crise de sua história e como o exemplo de Putin pode inspirar Trump e penso que está na hora de revisitá-la. Comecei aquele artigo analisando as calamidades que poderiam recair sobre os Estados Unidos se Hillary fosse eleita. Desde que isso não aconteceu (graças a Deus!), podemos ignorar essa parte com segurança e partir para minhas predições do que poderia acontecer se Trump fosse eleito. Eis o que escrevi:

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

O real significado da ameaça da Coreia do Norte à Ilha de Guam



Texto de Richard ParkerPolitico Magazine / GGN, tradução de Ricardo Cavalcanti-Schiel

 

Kim Jong-un sabia o que estava dizendo quando ameaçou atacar a Ilha de Guam. Antes que mero blefe na escalada de hostilidades verbais entre Estados Unidos e Coreia do Norte, a declaração agressiva do líder norte-coreano mirava o calcanhar logístico das forças militares norte-americanas no Pacífico, como se dissesse: “nós conhecemos muito bem os seus pontos nevrálgicos, e eles estão ao nosso alcance de tiro”.
EUA: Se não der certo, culpe a China


Imagem relacionada
Texto de Finian Cunningham, tradução de btpsilveira

A economia despedaçada dos Estados Unidos é corroborada pelo déficit crônico que o país tem com o resto do mundo. Na realidade, os Estados Unidos não podem culpar a ninguém a não a si mesmos pelo seu fracasso histórico.

Mas numa faceta tipicamente chauvinista, a administração Trump encontrou um bode expiatório conveniente ao culpar a China – seu principal parceiro bilateral. O presidente Donald Trump ordenou nesta semana um processo contra as alegadas práticas maliciosas da China, entre as quais roubo de propriedade intelectual e subsídios injustos.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

As relações entre EUA/Rússia devem tomar rumo inesperado
O Hwasong-14 - RD-250?

texto de M K Bhadrakumar, tradução de btpsilveira

A crise ucraniana – e as relações entre Rússia e Estados Unidos – devem alcançar um ponto de inflexão com as análises feitas pelo Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS, na sigla em inglês – NT) em Londres que o salto espantoso na capacidade balística de seus mísseis no ano passado só pode ser atribuído à aquisição clandestina de tecnologia da era soviética que está disponível em uma fábrica perto da linha de frente da zona de guerra no Donbass, perto da região separatista dominada pelos secessionistas.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

EUA querem terceirizar a guerra do Afeganistão para empresas militares privadas. Fugindo da responsabilidade de uma missão fracassada
 Private Contractors to Replace US Military in Afghanistan: Shirking Responsibility for Failed Mission
texto de Andrei Akulov – tradução de btpsilveira
Agosto de 2017 – Até agora, o presidente Donald Trump não teve sucesso em apresentar uma política coerente para o Afeganistão. Ele está frustrado com assessores e comandantes militares, entre os quais o General John Nicholson, que comanda as forças (norte)americanas no país conflagrado.
A República Popular Democrática da Coreia do Norte, RPDC, conhece as lições brutais da 'mudança de regime' à EUA e não se desarmará 


13/8/2017,
Neil ClarkRT, tradução pelo Coletivo de Tradutores da VILA VUDU

Será que a 3ª Guerra Mundial começará essa semana, por causa das ações belicosas de um presidente fanfarrão com corte de cabelos patético e seu sinistro estado bandido belicista armado com bomba atômica? Ou ainda é possível conter Donald Trump e os EUA?

domingo, 13 de agosto de 2017

Coreia do Norte mostra que o Imperador está nu?


11/8/2017, Pepe EscobarSputnikNews, tradução pelo Coletivo VILA VUDU


Apesar do denso nevoeiro da guerra (retórica) entre Washington e Pyongyang, ainda é possível detectar algo de fascinante escrito no muro (não construído).

Já se disse que o presidente Trump está usando a Coreia do Norte para tirar de pauta e do ciclo de notícias dos EUA a narrativa do tal Rússia-gate incansavelmente repetida dia e noite, todos os dias e noites. Sem dúvida está funcionando. Afinal, na weltanschauung [visão de mundo, al. no orig.] do Excepcionalistão, a perspectiva de guerra e suas possíveis recompensas com certeza tira da mesa de jogo as nebulosas acusações de que os russos teriam hackeado documentos dos EUA e interferido nas eleições.
Pulando dentro do “fogo e fúria”

texto por Jonathan Marshall, tradução de btpsilveira

Agosto de 2017 "Information Clearing House" – “Esteja preparado. Há uma pequena chance de que nossa governança horrível possa inconscientemente nos levar a uma Terceira Guerra Mundial” – Donald Trump, 31 de agosto de 2013

Agindo igualzinho um diretor demoníaco de Hollywood, o presidente Donald Trump continua a nos fazer pular da cadeira, mesmo quando já pensávamos que tínhamos visto tudo. Na terça feira, ele se superou por duas vezes ao prometer que a Coreia do Norte, se continuar a ameaçar os Estados Unidos, se encontraria “com fogo e fúria como o mundo jamais viu”.

sábado, 12 de agosto de 2017

CONFIRMADO:
EUA e Coreia do Norte já estão em conversações na ONU 


11/8/2017, Alexander MercourisThe Duran, tradução da VILA VUDU

Onde se aprende que os veículos da mídia-empresa 'ocidental' existem EXCLUSIVAMENTE para pautar para a discussão social só os temas que nada significam e levam a coisa alguma que não seja mais do (velho pervertido e corrupto) mesmo. 


Para conhecer a posição do governo golpista do Brasil sobre a 'questão' da Coreia do Norte ver "Decreto de Michel Temer reforça medidas contra a Coréia do Norte – A Resolução 2.321", Revista Sociedade Militar, 24/4/2017; e o discurso do deputado-bispo Marco Feliciano "Que se feche a representação diplomática da Coreia do Norte" (vídeo).

________________________________________

Já estão operando canais diplomáticos entre diplomatas de segundo escalão de EUA e Coreia do Norte estabelecidos em New York, abrindo o caminho para uma recomposição nas relações, semelhante à que se realizou entre EUA e China, nos anos 1970s.
Como evitar uma guerra nuclear: Porque a estratégia de Kim Jong-un faz sentido
 
texto de Federico Pieraccini, tradução de btpsilveira

Para observadores dos dois recentes testes de mísseis intercontinentais pela Coreia do Norte, fica a impressão de que Pyongyang deseja aumentar ainda mais as tensões na região. Porém, uma análise mais cuidadosa mostra que a República Popular Democrática da Coreia (nome correto do país) está dando curso a uma estratégia que pode vir a ter sucesso para evitar uma desastrosa guerra na península.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Desmascarando os mitos sobre as entregas de armamento para a Ucrânia
 
Texto por The Saker – tradução de btpsilveira

A mais nova mania jornalística versa sobre a possibilidade de entrega à junta nazista em Kiev de armas antitanques dos Estados Unidos (o Javelin FMG-148 sempre é mencionado [sistema portátil de mísseis antitanques desenvolvido pelos EUA-NT]). Tipicamente, estas histórias sempre incluem uma discussão de armas “defensivas X ofensivas” e “letais X não letais” e revelam uma crença infantil na existência de algum tipo de tecnologia mágica que faria milagres no campo de batalha. Nada disso tem a ver com o mundo real e é por isso que esse pessoal escreve esse tipo de nonsense tentando esconder a própria ignorância, semeando pelos seus artigos números sem sentido tais como alcance, capacidade de penetração de blindagem, sistemas de orientação, expressões do tipo “dispare e esqueça”. A verdade é que todos esses autodenominados especialistas citam uns aos outros e todos papagueiam juntos a propaganda de linha chapa branca que sugere que a entrega dessas armas para a Ucrânia seria uma espécie de divisor de águas. Divisor de águas realmente é, mas não em termos militares. Pois bem. Vamos tentar colocar um pouco de razão nessa besteirada toda.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Coreia do Norte: fogo, fúria e medo 

10/8/2017, Pepe EscobarAsia Times tradução pelo Coletivo VILA VUDU
_____________________________________________________

Soam os alarmes com a especulação rampante sobre 'possíveis' ogivas nucleares miniaturizadas de Pyongyang.

Atenção! Cuidado com os cães da guerra. A mesma 'gente' da inteligência que os presenteou com bebês arrancados de incubadora pelos iraquianos 'do mal', e com Armas de Destruição em Massa inexistentes está agora martelando a 'notícia' de que a Coreia do Norte (o nome correto do país é República Popular Democrática da Coreia) teria produzido uma ogiva nuclear miniaturizada que pode ser disparada com seu míssil balístico intercontinental [ing. ICBM] recém testado.
Torturadores terceirizados irão a julgamento

Ainda há juízes respeitáveis (em Spokane, Washington)!


Tribunal rejeita argumentos dos torturadores contratados (terceirizados) pela CIA

8/8/2017, Kevin GosztolaFiredoglake Tradução do Coletivo Vila Vudu


Um juiz federal em Spokane, Washington decidiu dia 5/9 que deve prosseguir o processo contra empregados terceirizados contratadas pela CIA e envolvidos no programa de tortura da Agência.


A ação foi iniciada pela União Norte-americana de Liberdades Civis [ing. ACLU] em nome de três ex-prisioneiros – Suleiman Abdullah Salim, Mohamed Ahmed Ben Soud e a família de Gul Rahman – todos vítimas de tortura. James Mitchell e John "Bruce" Jessen são acusados de violar leis internacionais e de abuso de direitos humanos.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

O Dilema Coreano
 Korean Quandary
Texto de Brain Cloughley, tradução de btpsilveira
Nas suas declarações públicas, o líder supremo da Coreia do Norte, Kim Jong-un parece ser completamente psicótico e afastado de qualquer senso de realidade. Que outro líder mundial vem à sua mente ao ler esta descrição?

terça-feira, 8 de agosto de 2017

On the beach 2017: O aceno da guerra nuclear


texto de John Pilger – Information Clearing House, via Definir.Info


O comandante do submarino dos EUA diz: "Todos nós vamos morrer um dia, alguns mais cedo e outros mais tarde. O perturbador sempre foi que nunca se está pronto para isso, pois não se sabe quando é que chega o momento. Bem, agora sabemos e não há nada a fazer".