quarta-feira, 12 de setembro de 2018


Comportamento hostil dos EUA faz com que os tradicionais rivais Rússia e China se unam cada vez mais


Por Jason Ditz, via AntiWar.com, tradução de btpsilveira

Exercícios de guerra conjuntos são sinais de interesses cada vez mais alinhados

China e Rússia tiveram um relacionamento tenso por décadas. Conflitos aconteceram principalmente na era soviética, por causa da grande fronteira que compartilham, com os Estados Unidos se esforçando para desenvolver uma aliança com a China.

Mas as coisas mudam. Em anos recentes, os Estados Unidos tratam tanto China quanto Rússia como rivais estratégicos e essa hostilidade do país ocidental está levando as duas nações a repensar seu relacionamento através do mundo, até mesmo uma com a outra. Isso aproxima cada vez mais China e Rússia.

A demonstração está nos próximos exercícios militares russos, que no passado sempre tenderam a ser fonte de tensão com a China. Neste ano, a China foi convidada a participar, algo que seria impensável tempos atrás.

Neste momento, os dois países não são competidores na Ásia, ou rivais competindo pelo status de superpotência. Em vez disso, veem o poderia militar dos EUA e a política grosseira desse país em relação a ambos como alinhador de seus interesses, levando-os a encarar juntos o inimigo comum.

Oficiais dos Estados Unidos veem a aproximação cada vez maior de China e Rússia como uma “mensagem” claramente endereçada a eles. Na realidade trata-se de um produto inevitável da política dos EUA, que tem tratado tanto Rússia quanto China como inimigos a serem dominados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário