segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

A quem o golpe atinge? Ele atinge você

Roberto Pires Silveira, a partir de discurso de John Donne, em 1764.
 Resultado de imagem para O homem é o lobo do Homem
Imagem a partir do blog "Ensaios de Paz".
Talvez aqueles a quem o golpe de 2016 atingirá estejam tão inconscientes que mal sabem que serão profundamente prejudicados. Talvez eu esteja um pouco melhor, mais consciente que aqueles que me rodeiam, sabendo que o golpe me atingirá, embora eu não saiba como nem quando.

O Estado alcança tudo e todos, e suas ações repercutem por todos os lugares da nação; tudo o que o Estado faz tem a ver com todos. Quando por sua causa uma criança passa fome, isto também me diz respeito, pois essa criança está ligada a mim e a fome também é minha, pois foi concebida nesta sociedade da qual sou membro.
Quando o Estado mata um homem, também sou a mão que assassina; todo o governo brasileiro funciona pelas ações de um governante, e quando alguém morre por culpa do Estado, não se trata de algo que possa ser lançado fora, mas de uma coisa que tem que ser entendida de forma mais completa que atualmente; cada injustiça cometida pelo governo brasileiro deveria ser entendida melhor, mas o Estado se cerca de uma imprensa mentirosa que transforma suas maldades em bondades, e assim, não importa se a idade de aposentadoria é aumentada, se o salário mínimo será engessado, se a justiça é parcial, já que a mão do governo está em todas essas ações, e cada uma delas será levada ao povo pela imprensa que é uma prostituta do Estado, uma meretriz do poder. Ela reunirá todas as coisas más praticadas pelo Estado e fará o povo entender que está sendo ajudado, quando está sendo prejudicado. Quando o golpe entorpece a consciência do povo, é a imprensa venal o seu tradutor, não perante o governo, mas perante todo o povo. A imprensa nos anestesia a todos, a você e a mim, que estou à porta vendo a ambição do estado profundo se espalhar.
Houve uma disputa feroz pelo poder, e mesmo um processo (onde se misturaram a falácia, a mentira, a ambição, a corrupção e a falsidade) sobre quem deveria assumir o poder, e determinou-se que assumiria aquele mais afinado com os reais poderes sombrios que tocam a nação desde sempre.
Se ao menos entendêssemos a indignidade desse golpe, dessas maldades semanais que minam cada vez mais fundo nossos direitos duramente conseguidos, ficaríamos atentos a tudo, pois o que atinge a um atinge a todos, como sempre foi. Se o golpe faz perder direitos, e momentaneamente uma única pessoa seja atingida, você está unido a ela, pois está dentro do mesmo Estado, do mesmo governo.
Quem não será atingido pelo aviltamento do SUS, ou pelo engessamento do país por 20 anos, pelas perdas de orçamento para a educação e para a saúde, pela destruição da CLT, pela falta de investimento, pela entrega de nossas riquezas, pelo enfraquecimento da democracia? Quem deixará de ser atingido pelo golpe quando toda a sua força descomunal se fizer sentir? Quem lutará contra ele, quem poderá remover do poder os monstros que lá se acastelaram, quando nós próprios os colocamos lá?
Nenhum brasileiro está protegido, isolado dentro de uma bolha; todos nós somos parte do mesmo país, uma pequenina parte do Brasil. Se um brasileirinho do interior do Amazonas fica sem escola, essa falta de escolaridade aumentará os índices da ignorância do país, como se nós mesmos ficássemos um pouco mais ignorantes, como se um amigo ou você mesmo de repente ficassem cegos, e impedidos de ler. O sofrimento de cada brasileiro nos atinge pessoalmente, queiramos ou não, porque estamos inseridos dentro da mesma nação, por isso, nunca pergunte quem será atingido pelo golpe. Ele atingirá você.
Não podemos chamar ao golpe de indignidade de alguns, ou podemos dizer que não lhe emprestamos autoridade para causar toda essa confusão, como se não fossemos todos nós os responsáveis, mas deveríamos olhar mais para nossos compatriotas e sofrer com o sofrimento de outros brasileiros, para poder reagir.
Na verdade, a cobiça, a ambição alheia não deve ser desculpada, caso quiséssemos escapar de nossa responsabilidade, pois a responsabilidade é uma culpa universal que poucos homens são capazes de encarar. Ninguém quer encarar a si mesmo, por mais besteiras que tenha feito. Não estamos amadurecidos o suficiente, o sofrimento ainda não nos aprimorou, mas ele está chegando e então seremos forçados a agir, ou perecer.
Não adianta carregarmos nosso tesouro de ignorância, não podemos exibir nossa impassibilidade ante o golpe, porque isso não nos protegerá de seus efeitos perniciosos. O sofrimento é uma carga terrível por sua própria natureza, mas não pode servir de desculpa para nada, desde o momento em que nos declaramos inocentes de tudo o que está acontecendo à nossa volta, e quedamos inertes...
Alguém pode pensar que está seguro dentro de sua casa, imune a tudo, mas os efeitos do golpe estarão no interior de seu castelo e não lá fora. Este golpe desnudará nossa covardia, desenterrará nossa inércia enferrujada por uma década de bonança e golpeará duramente nossas costas desprotegidas: Em consideração a todos e a qualquer um, me contemplo e vejo cada um, sabendo que todos sofreremos. Temos apenas a nossa resistência a quem apelar, e ela é nossa única segurança.


Roberto Pires Silveira


2 comentários:

  1. Pois é, meu amigo. É assim, exatamente desta forma que as coisas se dão. Porém, como admitem os bons cristãos, a redenção só se dá pelo sofrimento. E, há entre estes cristãos , aqueles que todo sofrimento é sempre individual, como se não doesse em mim toda dor que dói em cada um.. Lamento, mas esta é a verdade (deles!). O que nos resta fazer é continuar lutando movidos por nossas consciências até o dia que eles também adquiram a consciência coletiva.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente enquanto o EGOISMO reinar há muito pouco que esperar.....!!!!! Este tipo de publicação ainda é um dos poucos recursos que temos para TENTAR mostrar ao POVO a verdade dos fatos....NÃO PODEMOS DESISTIR DE FORMA NENHUMA!!! Vamos continuar alertando e publicando tudo que nos for possível, movidos, como diz JURACY (acima),
    pelas nossas consciências.
    nossas consciências

    ResponderExcluir